Contos, crônicas, poesias & afins

Quando o tempo parou

quando o tempo parou
parei de contar os dias
as noites nuvens em fogo
em céus sem estrelas
as manhãs 
repetições de si mesmas

quando o tempo parou
os fantasmas pulsaram
uníssonos e enfeitiçados
uma mente brilhante
um corpo quente
um coração gelado

quando o tempo parou
veloz sobre os caminhos
dissipado em assombros
de mim se foi um tanto
de mim ficou um pouco
perdas penas escombros

quando o tempo parou
senti o peso do silêncio
as batidas tensas
na cabeceira da cama
o sono em fuga
os sonhos em chama

quando o tempo parou 
pairei

[M.S]


1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s