Arquivos do Autor

Marcelo Siqueira

Sou o que sou: presente, passado e futuro; tempos intercalados; movimento das ondas e do espaço; metamorfose ambulante e, ainda assim, o mesmo de antes!
Professor do Ensino Fundamental por oito anos, atualmente diretor escolar em uma escola de Educação Infantil, "péssimo aluno, ótimo estudante" - alguém dissera de mim, se bem que tenho minhas dúvidas - leitor, garimpador de pérolas discursivas, escrivinhador sem pretensões literárias. E assim caminha a humanidade...

Video-Poema: Nebulosa

Às memórias que as palavras trazem, adicionei imagens que remetem a outras lembranças, construindo algo fora do tempo, ou melhor, anacrônico, em que os tempos se misturam e as histórias e as memórias se perpassam. Não seria assim, na tecitura da vida, entre tempos e contratempos, aos trancos […]

Lili

Talvez para Lili seja mais confortável se imaginar moinho de vento do que Don Quixote, pois há sempre a mística de ser dragão-escorpião, com a vantagem de que moinhos seguem seus cursos, indiferentes aos que ousam sonhar e ousam lutar pelo que sonham.

Live do Caetano de Natal

Ia escrever algumas coisas que estão cá dentro, batendo, batendo, tocando fundo… Então me perdi no tempo sendo tocado pelas canções de Caetano Veloso em sua live de Natal. Perca-se você também. A gente merece. “Não tenho nada com isso, nem vem falarEu não consigo entender sua lógicaMinha […]

Até onde…

longe longe longe aonde o eco se esconde e a brisa dissipa, insípida aonde os olhos não vêem as mãos se tocam e as bocas se falam aonde os lábios se encontram os ouvidos se encantam e os corpos se enroscam aonde as mentes se aquietam os sorrisos […]

Zangado

Enrolado em um cobertor rasgado ao meio – suficiente, porém, para cobrir todo o seu corpo –, ele dormia um sono profundo no banco da praça. Era um senhor sexagenário que, por analogia e por gracejo, havia recebido dos comerciantes locais e de seus consumidores ordinários o apelido de Zangado